segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Arrependimento é a palavra de hj.. é o sentimento de hj... de cada palavra, de cada momento de honestidade, de cada tentativa de abrir o coração..
Agora pelo menos posso escrever o que for pra mim mesma sem problemas.. acho que eu prefiro que as pessoas não se metam no que não entendem, do que ter uma postura de estou ao seu lado.. e depois "Jogarem" na sua cara que é criancisse.. antes eu tivesse ficado quieta. Não deveria ter respondido a conversa daquele dia.. deveria ter ficado muda isso sim.. nem concordado, nem discordado.. Por um momento cheguei a me sentir aliviada, cheguei até a me sentir menos mal.. sei lá.. por um momento pensei não estar sozinha, me senti compreendida.. e agora.. escuto isso..???? Quer dizer.. no fundo por tras de todo esse apoio, é o isso o que pensa?
Criancisse??? Não desejo pra ninguém o que eu to sentindo agora... e o pior de tudo é não poder explicar.. é ninguém entender.. o pior é ser julgada.. era tudo o que eu não queria que acontecesse.. Isso é pra eu aprender a não abrir a boca.. essa historia de desabafar, conversar.. aceitar ombro... não existe... não nesse caso.. Pq numa hora como agora, ouvir isso é a pior merda.. é pra se sentir um lixo mesmo..
O que eu imaginava aconteceu.. pensa o que ??? que é gostoso chorar o dia inteiro?? não se sentir bem em lugar nenhum.. é isso??? eu troco.. passo pra frente..
Nossa.. to tão brava, tão chateada, magoada, irritada.. que eu nem vou mais escrever o que passa pela minha cabeça.. to com vontade de quebrar a casa de tanto ódio...
Meu blog voltou a ser só meu agora... posso escrever sem medo novamente, sem pensar nos outros, sem magoar... Agora eu to aqui pra passar o tempo, falar sozinha.. to sem sono, o povo foi dormir, algumas meninas estão estudando aqui do lado,, e eu estou aqui com os meus pensamentos.. é a primeira vez do dia. O fds até que foi agitado.. pelo menos hj, bem mais do que a minha semana.. por vezes foi legal, por vezes me forcei.. to tentando voltar ao normal.. Funciona por alguns momentos.. mas quando eu volto a estar na minha própria presença.. sozinha comigo mesma.. volta a doer.. volto a ficar confusa, volta a ficar insuportavel.. Acho que não aguento a minha própria presença.. como que isso começou? quando que se tornou tão dificil ficar sozinha? quando que se tornou tão "dificil" ficar com os outros? fingir.. se forçar a falar.. mentir o tempo todo.. forçar assuntos.. por mais chato que as vzs seja, é melhor do que agora por exemplo quando eu estou só e sou sincera comigo msm...
A falta do prazer é o que mais me encomoda, a falta de pensar em algo que me deixe feliz é o que mais me apavora, esperar por amanhã.. dormir sem um objetivo, sem vontade... ficar agora procurando explicações.. passar todos os dias "matando o tempo", tentando me distrair, vendo as pessoas tentarem me distrair, tentar esquecer durante todo o dia , fingir pra mim msm durante todo o dia, até funciona naquele momento.. mas quando deito a cabeça o travesseiro, quando olho pra mim msm.. quando me comparo com os outros, quando me comparo comigo msm.. é de assustar... Não consigo tirar da cabeça a sensação de ver a vida passar.. de ver a vida dos outros passar.. é dificil explicar isso, parece que a minha parou.. Vejo as pessoas fazerem planos, terem compromissos, se divertir.. e me sinto tão fora, me sinto vivendo em outro mundo, paralelo talvez.. algumas vezes as pessoas me notam, tentam entender, ajudar, compreender, oferecem a mão, apoio... eu mesma não sei o que sugerir, que tipo de ajuda pedir, que tipo de ajuda aceitar.. a compania as vzs é bem vinda (nem sempre, e nem de todos..), mas muitas vezes é o que me faz"acordar", ou o que me faz sair do "meu mundo escuro".. Mas bastam alguns minutos, ou quando muito, algumas horas.. e o mundo volta a girar, volta "ao normal".. as pessoas voltam para suas vidas e eu continuo aqui..

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Meu coração ta tão acelerado... ta a mil.. to mega assustada comigo.. repassando o dia...
Tive um trabalho pra fazer, terminei a tarde.. a Ana me ajudou muito a revisar.. ela foi muito legal comigo.. a tarde foi engraçada, demos umas risadas.. Enfim.. fui pra facul entregar o trabalho... e bastou sair de casa paa o coração quase sair pela boca. Pra me controlar coloquei na cabeça que eu só ia entregar o trabalho e ia vir embora.. fui até o laboratório, imprimi, dei pra minha amiga e voltei pra casa... Só me acalmei qdo cheguei aqui, deitei no colchão e fiquei uma meia hora sem me mexer, só pra acalmar...minha cabeça explodia.
Uma hora não aguentei de gula e comi o que sobrou do lanche de ontem.. tava tudo bem até então.. mas bastou comer pra eu me sentir um lixo novamente.. meu coração palpitavaa.. fiquei quieta um tempo na sala.. mas aí começou chegar gente.. precisava ficar sozinha.. Fui pro quarto e lá fiquei por quase uma hora.. foi muito estranho.. eu tremia tanto, uma sensação de "medo".. sei lá.. dificil explicar.. Só sei que eu estava ofegante.. segurei pra não chorar, to tentando controlar o que sinto.. me sinto louca nessa hora.. Eu tava bem tava tudo normal.. do nada fica tudo esquisito.. ahhhh.. sei lá to meio irritada.. to com vontade de chorar agora, mas to segurando.. nao quero me entregar.. quero que isso passe.. To tão nervosa agora, mas tão nervosa.. e nem sei pq..
Acho que to nervosa de me sentir assim... de parecer uma retardada.. não consigo ficar bem com meus amigos, dar risada.. sei lá... to me sentindo frustrada.. Hj fui pro bar com o pessoal, e segurei até o fim pra não fugir do convivio dos outros, esse medo é ilógico, não pode me dominar.. mas pra variar td mundo ficou perguntando da minha cara, e se eu tava brm.. inventei uma cólica pra disfarçar.. Uma hora nao deu mais pra segurar, pedi pra minha amiga pra virmos embora.. cheguei em casa tremendo.. com o coração a mil.. (to assim ateh agora) .. fiquei respirando sozinha pra tentar me acalmar e nao me deixei chorar de novo.. Uma hora não aguentei e fui tomar banho pra ficar um pouco sozinha e me acalmar.. Agora tds estão dormindo e eu estou aqui, sem sono, nervosa.. escrevendo nem sei pq.. acho que só pra fazer alguma coisa, colocar pra fora, sei lá.. isso aqui costuma me acalmar.. mas hj não ta funcionando.. Pensei em ver um filme, mas nao to conseguindo me concentrar, ou pensar em outra coisa..
To pensando em ir embora amanha mesmo pra minha cidade, não vou dar conta de ir na despedida da Ju.. se for pra voltar desse jeito.. ficar lá ansiosa e depois ficar em casa desse jeito um tempão, prefiro fazer igual ontem e ficar em casa.. Pelo menos assim eu tava bem..
E essa vontade de não fazer nada.. vai passar quando? to tentando pensar em alguma coisa que eu queira fazer.. uma única coisa que seja... alguma coisa que me anime.. Antes pelo menos eu nao ia pra aula por preguiça, ou pq tava mais legal em casa ou pq íamos fazer algo melhor.. agora ta dificil levantar da cama, hj ainda fui forçada pq tinha que fazer trabalho, senao ia me ferrar.. queria tanto estar com sono agora.. pelo menos qdo eu durmo eu to tranquila.. to em paz..

quinta-feira, 25 de setembro de 2008


Bom... hj acabei não tendo muito tempo de escrever aqui né?

O dia foi bem confuso.. muito mesmo... o mais bipolar de todos... vou tentar relatar aqui td o que senti, td o que vivi.. em um único dia...

Bom.. não vou narrar aqui o porque... mas dormi ontem desesperada.. desesperada mesmo... chorando muito, mas muito mesmo... acordei com a cabeça latejando.. e aquela angustia absurda.. sem vontade de levantar.. de rir.. de sair.. de nada.. nada mesmo.. e isso se prolongou por metade do dia... Após o horario do almoço, foi a pior parte.. aquela vontade de chorar, aquele sentimento de abandono, solidão.. sei lá.. não sei até que ponto sou eu.. ou até que ponto são os outros.. Ta dificil separar.. não deu pra escrever aqui, teve que ser no caderninho... mas foram 3 longas paginas... e prefiro nao transcrever pra cá.. Esss foi o pior dia.. o mais longo, o mais dificil.. o primeiro que pensei em desistir.. A tarde foi muito tensa... é dificil ateh lembrar.. nem me cortar fez efeito direito.. aliviou por uns 10 minutos.. qdo voltou tudo.. me desesperei mais ainda, pq a unica coisa que funcionava em situações extremas "me abandonou" tbm..

Conversei com a Elaine, tentei ser sincera.. no que eu consegui falar.. nem sei se ela entendeu... ela me "convenceu" a procurar um médico amanhã.. Nossa... to tão assustada.. não quero ir.. não queria, mas nem sei mais o que fazer.. Ao msm tempo que num passe de mágicas.. tudo passou.. simples assim... não fiquei feliz, nem nada.. mas a dor.. a angustia,.. o desespero passou... sei lá.. de repente .. Isso me assusta mais ainda!! Hj fiquei pensando.. se eu voltar a comer "normal" sera que fica tudo bem? será que eh isso? Hj tentei de tudo pra sair dessa, fui na sorveteria com a Elaine, e a noite até comi meio lanche e batata frita.. a culpa foi imensa, mas isso nao da pra comentar com os outros sem ganhar cara feia.. Mas qq coisa vale pra isso tudo acabar e eu voltar ao normal.. voltar a ser eu..

O resto do dia fiquei "bem " .. melhor do que o resto da semana, dei até risada.. fiz algumas brincadeiras.. sei lá... muito estranho... A Elaine acha que não é pq eu to bem, mas sim pq não sai de casa hj.. isso me da medo, tenho medo dela estar certa..

O mais dificil é saber que do msm jeito que passou.. pode voltar.. a qq minuto.. a qq momento.. Me chatiei com algumas situações hj, mas sei lá se a culpa é minha. Não deve estar facil lidar comigo atualmente.. mas que as vzs sinto que "ninguem" ta nem aí.. ahhhh.. isso sinto sim.. posso até estar carente, sensivel e tal.. mas tem uma boa diferença..

Administrar essa vulnerabilidade com as pessoas é o mais dificil.. essa sensibilidade toda.. eu nao consigo agir com os outros sabe..as pessoas me atingem de mais..qq cara feia... qq palavra torta.. qq desprezo.. pra mim eh o fim do mundo..e esse sentimento nao consigo controlar.. As vezs me irrito com facilidade, por mais que eu nao diga.. to muito sensivel.. alguem me ignora (as vzs sem querer..) e se eh alguem q eu tava esperando uma certa "atenção".. nossa.. parece que caiu o mundo.. que ngm liga pra mim.. blá blá blá... Agora é facil falar bla bla bla.. mas na hora não é por aí..

Parece que foi só um sonho... ou melhor um pesadelo... Agora sobram só as consequencias de tudo isso.. as aulas que eu perdi (pelo medo, ou falta de vontade d sair de casa), os trabalhos que nao fiz.. e acumularam tds (sem contar os fora de prazo)... é como se agora eu tivesse juntando os cacos.. Pq qdo isso acontece eu meio q tenho q parar a minha vida... pra tentar nao surtar.. E agora junto com o alivio.. de "pronto, passou.." sobram as consequencias.. e o medo de acontecer de novo..

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Breathe me

Help, I have done it again
I have been here many times before
Hurt myself again today

And, the worst part is there's no-one else to blame

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me I am small I'm needy
Warm me up
And breathe me

Ouch I have lost myself again
Lost myself and I am nowhere to be found

Yeah I think that I might break

I've lost myself again and I feel unsafe

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me I am small I'm needy
Warm me up
And breathe me

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me I am small I'm needy
Warm me up
And breathe me
To muito ansiosa.. muito ansiosa.... não passa!!!!!!!!
já andei de um lado pro outro.. já tentei arrumar as minhas roupas, já tentei lavar a louça.. não sei se eu saio de casa, se eu vou "caminhar".. andar.. sei lá.. To me sentindo louca.. não consigo parar quieta um minuto.. não adianta falar pra ngm.. ngm vai entender.. não consigo parar.. Quero ver um filme, distrair, esquecer.. mas eu mal to conseguindo ficar sentada.. minha cabeça ta a mil.. e eu nem sei o que é...
Quero ficar sozinha... não quero que ninguém me veja desse jeito.. e ao mesmo tempo a ideia de ficar sozinha me desespera...

A necessidade de escrever ta cada vez maior.. cada vez que algo me aflige preciso correr pra cá.. Hj tive que escrever até durante a aula.. (acho que vou precisar comprar um caderno pra isso..) é a unica coisa que me acalma (tirando os cortes.. )Mas esse só em casos extremos, de qq forma to tentando parar.. evito ir ao banheiro pra chorar sozinha.. hj qdo fui lá pra chorar pensei nisso, mas acabei trocando por alguns minutos sentada no chão ou olhando para o espelho.. logo a Ana tbm bateu na porta..

Ela veio conversar comigo depois.. mas falar é diferente, não sai... me sinto ridicula ouvindo a minha própria voz e as coisas que falo.. Mas qdo to sozinha (ou com "estranhos") isso tudo é tão real.. o desespero é tão real, que tenho vontade de me jogar no chão.. ficar lá estendida, ou então dar muito murro na parede.. arrancar os cabelos.. sei lá..

São quase 2 da manhã.. to na cama pensando no que sera do meu dia amanhã.. não quero dormir, não quero acordar.. nao quero ficar sozinha, não quero ver ninguém.. não quero ir pra aula.. Não sei o que fazer, eu vejo a vida das pessoas andar e me vejo como se tivesse atrás de um vidro e eu tivesse assistindo.. como se eu não tivesse vida própria.. nada mais me da prazer, nada mais me da alegria.. eu não sei o que to esperando ou tentando.. Não quero ir pra faculdade, pensei em trancar tudo.. mas trancar pra que? o que eu vou fazer com as horas vagas? o que eu vou fazer com o resto da minha vida? o que eu to fazendo com a minha vida?

Eu to tentando me controlar pra esse desespero, essa agonia passar.. mas eu não sei mais pq to vivendo.. não tenho mais um objetivo.. não sei mais quem eu sou ou o que quero.. a vida perdeu a graça e eu nem sei o porque..

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

To me sentindo tão sozinha.. tão abandonada.. Odeio gente que fica sentada sentindo pena de si mesma, se lamentando.. e to odiando a pessoa que estou me transformando.. mas esses sentimentos estão inevitáveis, me acompanham durante todo o dia, e qdo me esqueço, ou nas poucas vezes que me distraio, basta uma cara feia, ou alguém que me ignore.. e pronto.. volta tudo.. essa tristeza, solidão.. Parece que ninguém me entende, parece não.. ninguém me entende.. ninguém imagina como to me sentindo por dentro, to a ponto de explodir.. quero gritar, chingar, chorar.. Queria ficar sozinha no meu quarto agora, mas a menina nova tá lá.. e eu não vou ficar chorando do lado dela, hj nem lugar pra ficar quieta eu tenho.. tem gente na sala.. vou ter que ficar aqui na sala de estudos (que ainda queimou a luz).. Uma droga.. aqui não dá nem pra chorar.. me resta escrever.. só isso.. já tomei um banho de uma hora, pra ficar sozinha.. queria ficar mais tempo lá quieta, mas a menina nova ia achar que eu sou louca.. ou sei lá o que..

Um dia você acorda com medo de viver

O último post antes de dormir.. depois de 2 ou 3 dias sem grandes crises hoje a noite veio de novo.. e eu nem sei dizer como ou porque começa.. Eu já estava em Cps, tava vendo filme com a Ana; confesso que por vezes meu pensamento ia longe da tv, eu cansava e não queria mais ver, ou pelo menos não queria ficar mais ali, mas o frio que eu estava sentindo era absurdo ( tive que pegar 2 meias, tava com 2 blusas de frio e envolta por um edredon, meu nariz geladérrimo) e eu tbm to tentando me controlar, ou pelo menos controlar os impulsos e a ansiedade. Bom... assistimos uns 3 ou 4 episódios, e depois a Ana foi dormir.. não deu um minuto que ela levantou do sofá.. começou.. aquela angustia desenfreada.. vontade de chorar.. deitei no sofá, olhei para o nada e fiquei uns 2 minutos, até não conseguir conter as lágrimas.. resolvi disfarçar, distrair, peguei o computador.. resolvi abrir o blog e escrever.. mas não deu pra segurar, não conseguia parar de chorar. Vim para o quarto, antes que alguém notasse.. crise e mais crise de choro, angustia... desespero.. fui pro banheiro, espelho.. senta no chão, levanta... anda.. vai para a cama.. volta pro espelho.. resolvi dar um passo de confiança e procurar a Ana antes de fazer besteira, e aproveitando que não tinha mais ngm no quarto dela. Eu fui e voltei umas 3 vezes, antes de ter coragem de realmente entrar no quarto dela.. eu nem sabia oq falar, só sabia que precisava ter uma atitude aquela hora, pq amanha eu não saberia explicar.. Entrei chorando, ela ja tava meio dormindo, pedi desculpas por acordar.. não queria acordá-la, nem atrapalhar, mas se eu não fosse lá aquela hora eu não conseguiria explicar nem mostrar nunca o que acontece, ou como eu fico.. ainda que dessa vez em menor proporção.. Fiquei lá uns 5 minutos, até me "acalmar".. ela ficou segurando a minha mão... falei pra ela que tava tentando me controlar, buscar ajuda.. Quero que elas sintam confiança em mim, de que to disposta a me ajudar.. Deixei ela dormir, ela me disse pra voltar quantas vezes forem necessarias.. mas nao vou ficar acordando mais ela, nem hj, nem outro dia.. eu só precisava mostrar uma primeira vez como é que eu fico, como não sei oq fazer.. como é angustiante.. Para que se um dia ela ler aqui de novo me entenda..

Voltei para o quarto, chorei mais um pouco.. qdo foi melhorando, tentei me distrair com outra coisa, videos no youtube.. sei lá qq coisa só pra tirar o pensamento dali.. comecei a ler sobre depressão.. e apesar de não querer admitir, os sintomas são bem parecidos.. to um pouco assustada com isso.. mas vai passar, eu vou conseguir me controlar sem médico nenhum, muito menos remédio..

Nessa minha busca em ler sobre o assunto, descobri um filme chamado geração prozac.. nunca assisti, to baixando pra ver.. vi umas cenas no youtube.. e fiquei pasma, como eu me vi ali.. até o desespero pra se cortar, o descontrole.. me emocionei vendo algumas cenas e me sentindo exatamente daquele jeito, foi o único lugar que eu me vi retratada, pq as vzs nem eu msm sei explicar, por isso é tão dificil falar com as pessoas.. até coloquei como video favorito no fake tamanha semelhança... Realmente assustei, me sinto assim, me vejo agir exatamente da mesma forma, sem nunca ter visto o filme...

To cansada desse desespero inexplicavel... dessa angustia nas horas mais impróprias... da mesmisse de tds os dias... Comecei a pensar no que me espera amanha.. eu vou dormir pra que? vou acordar pra que? To cheia de trabalhos, cheia de coisas pra fazer, não to dando conta de nada.. to sem inspiração, travei, não flui, e mais que isso não to afim de fazer nada, não consigo pensar em nada que me motive.. é isso que mais me assusta..

video

domingo, 21 de setembro de 2008

Escrever pra aliviar o stress... minha cabeça ta latejando.. ta doendo muito, mas muito mesmo, desde que acordei.. senti "formigas" andando em mim de novo, só que aqui na minha casa.. ou seja.. elas não devem ter me seguido até aqui.. deve ser algo psicologico, ou alguma reação do meu corpo.. sei lá.. To com muito, mas muito frio.. essa noite eu dormi com 2 edredons grossos, e mesmo assim meu corpo inteiro tava muito gelado.. Agora to na cadeira enrolada num edredon pra esquentar..
Hoje to meio estressada, por isso resolvi escrever um pouco.. to meio sensivel, qualquer coisa ta me deixando chateada ou irritada, mas deixa pra lá..
Parece que o mundo resolveu conspirar contra mim, minha mãe sempre cozinha mal (tadinha... mas ela realmente não tem o dom.. rss), hoje ela resolveu fazer lazanha, bife a milanesa.. comprou chocolate... coca-cola ahhhhh.. que tentação... tá difícil resistir!
Mudando de assunto... ou eu to ficando maluca, ou eu emagreci mais 1 kg, pode ser tbm com relação ao horario que peso, ou pesei.. pq a mesma balança que ontem apontava 51kg, sendo que sem nada ela já tinha 1 kg.. (ou seja, eu estava com 50kg), hj continua com 1 kg sem ninguém, e comigo ta com 50kg, ou seja, 49kg!!!! Pra garantir coloquei minha irmã, que continua com os mesmos 28kg de ontem.. Resta saber se a balança ta certa, porém certa ou não.. to perdendo 1 kg por dia!
Hoje descobri que ao inves de 4 fichamentos, agora tem mais 2.. são 6 pra terça-feira.. nossaa.. desesperei quando soube... pensei em seriamente trancar a materia, tenho que ver se ela não segura nenhuma outra.. vamos ver.. To fazendo o trabalho de quinta, mas minha concentração ta uma droga, to meio lenta... mas pelo menos esse pretendo terminar hoje.. falando nisso.. deixa eu ir fazer...
Nobody knows who I really am
I never felt this empty before
And if I ever need someone to come along,
Who’s gonna comfort me, and keep me strong?

We are all rowing the boat of fate
The waves keep on coming and we can’t escape
But if we ever get lost on our way
The waves would guide you through another day

tooku de iki o shiteru toomei ni natta mitai

kurayami ni omoe dakedo mekaku shisareteta dake

inori o sasagete atarashii hi o matsu
asayaka ni hikaru umi sono hate made

Nobody knows who I really am
Maybe they just don’t give a damn
But if I ever need someone to come along
I know you would follow me, and keep me strong

hito no kokoro wa utsuriyuku nukedashitaku naru
tsuki wa mada atarashii shuuki de fune o tsureteku


And every time I see your face
The ocean heaves up to my heart
You make me wanna strain at the oars, and soon
I can see the shore

Oh, I can see the shore
When will I see the shore?

I want you to know who I really am
I never thought I’d feel this way towards you
And if you ever need someone to come along,
I will follow you, and keep you strong

tabi wa mada tsuzuiteku odayakana hi mo
tsuki wa mada atarashii shuuki de fune o terashidasu


inori o sasagete atarashii hi o matsu
asayaka ni hikaru umi sono hate made

And every time I see your face
The ocean heaves up to my heart
You make me wanna strain at the oars, and soon
I can see the shore

unmei no fune o kogi nami wa tsugi kara tsugi e to watashi-tachi o shou kedo [1]
sore mo suteki na tabi ne dore mo suteki na tabi ne
video

sábado, 20 de setembro de 2008

Apenas um passo!


A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento,

duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor.


Hoje eu estou em casa, na minha cidade, consequentemente posto mais cedo, ou mais vezes.. falta do que fazer, maior ansiedade, sei lá..
O dia até que foi razoavelmente tranquilo, meio depressivo com a ajuda do dia cinzento.. mas por enquanto sem nenhum descontrole.. uma ou outra "pequena" crise.. principalmente antes de entrar sozinha no ônibus, uma pequena crise de ansiedade, mas até que controlável.. respira, inspira, respira de novo.. passam alguns minutos.. ao entrar no onibus o motorista até que sorriu simpático.. o medo foi passando aos poucos..
Vamos a parte boa do dia.. quer dizer eu acho que é boa.. pelo menos me animou.. achei aquela balança de banheiro aqui de casa (fazia anos que nao a usava, então nao sei se ta tão certa, por isso nao tenho certeza se a noticia é boa.. ) mas segundo ela cheguei aos 50Kg!!!! Pesei minha irmã pra garantir, minha mãe disse que ela tinha uns 25, 26 Kg .. e na balança ela estava com 28kg, ou seja.. ou a balança tá certa ou ta marcando a mais (e nao a menos), o que é melhor ainda, mas seria pedir demais já né.. meu anel ja não serve no meu dedo de tão largo.. Salvou o dia.. e olha que eu até comi em casa hj, me senti mega culpada depois, muito mesmo.. quase miei, até doeu.. mas um lapso de lucidez, um momento de razão, me lembrei de ontem, da conversa, da agonia, da "promessa"e parei.. To dando o primeiro passo, to tentando..
Hj durante o almoço falei com a minha mãe, que já ta querendo enfiar o pé na jaca.. e não adianta.. não me escuta.. to cansada de ter td a responsabilidade nas costas, parece que eu que sou a mãe, acredite o juizo maior é o meu.. "aonde chegamos??" Ela ta querendo comprar um carro pra ela, ja ta fazendo aulas na auto-escola.. (eu me pergunto com que $ ela vai pagar 2 carros, 2 seguros, 2 ipvas, 2 gasolinas) ela não te juizo, não tem noção.. pelo pouco que entendi já fez um emprestimo.. além da prestação do carro ainda vai pagar emprestimo.. Meu Deus... eu to o dia inteiro criando coragem pra tirar essa historia a limpo.. Mas juro, que to enrolando o máximo de medo, medo mesmo.. do que eu vou ouvir, do que ela pensa em fazer, dela não me ouvir.. dela já ter feito algo.. medo do meu nervoso, de me descontrolar.. Quando eu começo a tentar resolver os meus problemas.. ela vem com mais uma bomba.. não aguento mais esse peso nas costas.. quero tirar férias dessa vida.. dessa casa.. de mim.. queria poder não pensar em mais nada disso.. Saudades do tempo que minha vida era ver vale a pena ver de novo comendo (sem culpa) pipoca de chocolate com as minhas amigas, vendo friends dia e noite.. comendo waffle com sorvete, mc donalds 2, 3 vezes num único mês.. era tão bom comer.. dar risada.. falar bobagens.. acho até que eu era engraçada.. Saudades de mim.. longe da loucura dessa casa, dessa família.. longe dessa amargura toda dentro de mim..

Escrevendo com cautela...

Bom.. hj fiquei sabendo que descobriram o meu blog... (sei que logo alguem vai ler), mas era tão bom desabafar aqui, ser sincera, falar loucuras, devaneios.. medos, crises.. De uma certa forma me fazia bem, era como falar com alguém.. alguém que só escuta, que nao faz cara feia, que nao se assusta, que não dá bronca, alguem que eu não machuco.. alguém que não tenho medo de falar, ou de enxer o saco.. Mas a idéia não deu certo... acabei machucando do mesmo jeito, e eu nem imaginava.. foi um susto.. não sabia onde enfiar a cara, tamanha vergonha, tamanho medo.. foi tão dificil encarar as duas.. Me senti exposta... elas me olhavam com medo.. eu queria sair correndo.. ficar muda no banheiro.. mas não ia funcionar, seria pior.. Com a E não deu pra conversar tanto, só a parte dificil.. que foi qdo descobri.. Já com a A quase surtei tentando por pra fora o que me atordoava.. nossaa... nunca pensei que seria tão dificil, as palavras simplismente não vinham... de uma forma resumida, acabei contando uma parte, ou pelo menos inserindo o assunto sobre o que tanto me afligia, o que muitas vezes me tirava o sono e a paz.. foi dificil, doloroso.. mas no final me senti aliviada, saiu um peso imenso.. e ela lidou com tanta naturalidade (como ngm, das poucas pessoas que contei), que eu me senti menos envergonhada, e até menos cobrada (pq é o tds faziam, me cobrar uma atitude diferente no hoje).. Eu jamais faria isso agora.. Mas chega desse assunto, pq hj nao quero mais chorar.. eu nem estou tão ansiosa como nos outros dias, e pretendo ir dormir assim.. Acho que apesar dos pesares essa conversa me tirou um fardo das costas, mas agora fico preocupada por elas.. tenho que me policiar, nao fazer besteira, não transparecer besteira.. senão vão me fazer ir a um medico, e isso eu nao vou mesmo!
Nem sei o que falar.. são 3:38 da manhã.. to sem sono (pra variar).. minha cabeça ta a mil, nem sei o que pensar, que atitude tomar... td confuso (pra variar), mas agora me sinto pressionada a fazer algo, a tomar alguma atitude..e eu nem sei o que fazer, o que pensar...
Não queria deixar de escrever.. de certa forma me faz bem.. é como um diário..é onde tento descarregar as minhas neuroses.. as vzs funciona e até fico menos ansiosa.. posso falar tudo, protegida por um anonimato, quer dizer agora um pseudo anonimato.. Vou tentar maneirar no que escrever, no tamanho da sinceridade.. msm pq muitas coisas são de momento, desespero e tal.. e quem lê não sabe.. leva ao pé da letra.. se machuca com isso.. e isso eu não quero mais! Não quero atrapalhar mais ninguém.. Consegui assustar e magoar as 2 pessoas que mais me importam na vida.. (junto com a minha irmã e a vovó).. preciso tomar mais cuidado, ser mais cautelosa pra não ferir mais ninguém..
O fds ta chegando.. quer dizer, já chegou né? amanhã tenho que ir para a casa, não tenho a menor vontade... enrolei o maximo que deu, mas sabado preciso ir.. ninguem vai ficar aqui tbm.. senao eu ficava.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Se eu morresse amanhã.. o que me dirias hoje?


Nem tudo o que veio, veio por acaso,
Na folha que escrevo há sinais que, somente, eu entendo.
Vou descortinando os símbolos do que não é dito.
Vou caminhando em silêncio sem ser vista.
As luzes estão acesas, vão iluminando as ruelas que percorro,
A solidão caminha comigo, sem que a veja, sinto-a.
Busca cá dentro o pior de mim,
Não sei como encontrar o que não tenho.
As folhas do livro estão, ainda, brancas,
Aguardam que as palavras soltas se juntem um dia!

Cansaço...



Cansaço de viver o que não se escolhe viver...
Cansaço de sentir o que não se quer sentir...
Cansaço de sorrir quando não se quer sorrir...
Cansaço de fraquejar quando se tem que ser forte...
Cansaço de chorar quando tudo pede para sorrir...

acordar, de manhã e não saber o caminho que se quer seguir, saber que o coração pede uma coisa que a razão não nos permite viver...
levantar da cama, e fazer tudo, mecanicamente, obedecendo cegamente à rotina que a razão nos traçou...
passar o dia a fazer aquilo que uma sociedade a passar por uma crise de valores definiu como correcto e aceitável...
não cometer loucuras... e pouco fazer daquilo que realmente se quer fazer...
deitar na cama e pensar em tudo o que foi mais um dia de pesado cansaço...
dormir... e passar momentos agradáveis apenas entre nós... entre o eu adormecido e o eu insconsciente...

e acordar novamente... para mais um dia de produção mecânica sem que a fábrica possa avariar...

demasiado passivos? (pensamos... )
talvez muito conformados? (sentimos...)
cobardes? inseguros? fracos? loucos?

talvez apenas demasiado realistas e observadores... talvez muito conscientes do mundo e da vida... talvez demasiado "videntes" do futuro...

cansados, acima de tudo...
desesperados por uma cura para o cansaço... conhecendo perfeitamente os medicamentos, mas sem força nem motivação para os usar...

por outro lado... demasiado conhecedores do que queremos, demasiado conscientes do que nos faz bem, demasiado psicólogos de nós próprios, demasiado!...
e muito ansiosos, incrivelmente ansiosos por viver momentos que nos fazem bem, por conseguir esses momentos... a que damos tanto valor e que mais cansados nos fazem ficar... porque quanto mais os valorizamos, mais desvalorizamos tudo o resto...

extremos, opostos, separados por um longo caminho, que cada vez se torna maior, aumentando também o esforço que temos que fazer por nos equilibrar...
fazendo acumular cada vez mais o cansaço...
esse cansaço tremendo de viver, não, de morrer!
de morrer em cada rotina, em cada levantar mecânico, em cada dia vivido por viver...






Mais uma madrugada inquietante... pra variar to sem sono, e olha que hj nem tomei café, segui o conselho da A pra nao tomar nenhum remedio e parar de tomar cafe.. até guardei o historico da conversa no email pra ler de novo (se necessário) se amanha eu mudar de ideiA, as vzs esses chaqualhões (eh assim que escreve?) fazem a gente acordar, é bom ter guardado....


Hj a A me chamou pra almoçar, desconversei pq ela tava atrasada falei q eu ainda tinha q me arrumar, mas nao funcionou, ela se ofereceu pra esperar.. acabei aceitando.. nao quero mais magoar ninguém, muito menos ela e a E.. Eu almoço, ela fica tranquila, não se preocupa e o resto do dia ngm pega no meu pé... ninguém se chateia pq acham q to comendo..e fica td bem..


Mas foi dificil escolher oq comer hj.. só tinha salada ruim.. (eu nao gostava de nada)... só salvava o brocolis (bendito brocolis.. me salvou de uma possivel "briga", ou situação desagrradavel..), peguei 2 brocolis, uma fatia de beterraba (comi metade), arroz (pra disfarçar, mas nao toquei), um pedaço peq de cação (comi metade) e uma outra carne lá só pra enrolar tbm.. nem comi. Tomei suco de melancia... o resto do dia nao comi nada, só um capuccino a noite na facul.. e antes de dormir um chá de camomila.. Ahh... a A me ofereceu biscoito, comi um pra disfarçar... e só... tirando o "almoço" (2 brocolis, meio ped de cação, meia fatia de beterraba).. foi praticamente No Food!


Amei essa ideia de disfarçar... é muito mais facil que ficar negando.. pq vc pega um ou coisa assim.. a pessoa se contenta e pronto! Agora qdo vc nega, te fazem comer mil coisas, te oferecem comida o dia inteiro e nao param de reparar em vc..


Hj a noite me bateu um cansaço, uma moleza.. fraqueza.. sei lá.. eu tava tão longe, raciocinio lento, quase parando.. nao me concentrava em nada... e um cansaço físico junto com o mental... tava na facul mas queria minha cama.. deitar.. nao tava conseguindo ficar em pé.. incontrolável.. e cá estou eu msm assim as 2:30 acordada... Não entendo...


Hj na facul uma amiga que eu to começando a ficar proxima agora (nunca conversei em gde intimidade até agora) olhou assustada dizendo q eu emagreci.. eu neguei.. dei de ombros, mas ela enfatizou meio "brava".. "vc emagreceu sim, sra.. olha isso.." (e pegou na minha blusa).. ela sabia q eu ja tive problemas com isso por causa do video.. acho q por isso desconfiou.. Engraçado, como as vzs as pessoas "distantes" percebem muito mais, conversam muito mais (msm q vc nao queira)..


Mas foi bom conversar com ela, a principio neguei 30 vzs, mas ai ela começou a contar dela, que ela teve e ta se curando de uma sindrome do panico.. ela dizia q entendia td oq eu sentia.. e qdo começou a descrever.. Nossa... o sentimento era o msm, a sensação a msm... igualzinho.. essa ansiedade absurda, incontrolável.. qdo ela começou a descrever eu me vi falando em seu lugar "vc acorda super tarde, enrola o maximo que pode, acorda meio dia, uma hora, pra nao ver o dia passar, pra nao encarar o mundo sair da cama... acaba matando o almoço.. chega mais de 3 h na faculdade.. nao entra, ou nao quer entrar na aula.. nao presta atenção em nd, ta desconcentrada.. raciocínio lento(e como).. irritada, a noite chega em casa, e qdo ta sozinha é pior, bate desespero incontrolável.. vc nao sabe oq fazer, nao passa.. nada passa.. tremedeira, medo.. vontade de sair correndo, de sumir pra bem longe.. 4, 5 da manha acordada.. deita na cama, vira de um lado pra outro a noite inteira.. e no dia seguinte nao quer levantar, pq aquele é o unico horario de paz.. o unico q vc esquece.. se pudesse ficava ateh a tarde.." Eu não tiro uma vírgula de como ela descreveu.. e o mais engraçado é q nunca falei disso... ela nao mora comigo, nao sabe da insonia, nem d hora q acordo.. nada.... nossa.. me senti tão aliviada... de saber q alguem me entendia, q alguem passou pelo msm... alivio de ouvir.. "nao vc nao ta louca.."


Me senti menos sozinha...


Escrever palavras não é o mesmo que dizê-las...




Os efeitos das dietas
A barriga de Kim faz ruídos: ela deixou de almoçar há algumas semanasÀs refeições, alimenta-se unicamente de saladas e, tal como Carol, não come pão nem batatas. Para não pensar na comida, vai para o quarto estudar e fazer os trabalhos de casa.— Vem ver televisão comigo — diz a mãe, uma noite. Kim pensa nos velhos tempos em que ia para o sofá com Angela petiscar batatas fritas enquanto assistiam à sua série favorita. Mas agora Angela saiu com p namorado, Luís. Kim abana a cabeça.— Tenho muito que fazer — diz à mãe, pegando na mochila.No quarto, Kim tenta trabalhar mas não consegue parar de pensar em comida; tem dores de cabeça.Na sexta-feira, vai às compras com a Angela e a mãe. Vão escolher o vestido de Kim para o casamento.Kim pega numa saia justa. É um tamanho 36 — e o fecho sobe facilmente. Sai apressadamente do provador, descalça, e desfila à frente de Carol e de Angela.— Estás linda! — exclamam elas.— Tens um corpo muito bonito — diz a empregada. Kim gosta do elogio.
A dieta e o corpo
Quando o corpo de Kim necessita de comida, determinadas substâncias químicas comunicam ao cérebro a sensação de fome. Este envia mensagens às outras partes do corpo, para os preparar para a refeição seguinte. A boca enche-se de saliva, os sucos gástricos preparam-se para o trabalho. Pela cabeça de Kim passam imagens de torradas com manteiga e de sandes. O seu cérebro esfomeado nunca pára de lembrar que ela tem que comer.Tal como qualquer pessoa a fazer dieta, Kim sente os efeitos da falta de comida: cansaço e dificuldade de concentração. A curto prazo, a dieta fá-la sentir-se desconfortável.A longo prazo, pode privá-la de algum nutriente necessário para o seu corpo.
O que é uma caloria?
É uma unidade de energia. Tudo o que comes contém calorias. O teu corpo usa-as em tudo o que faz — respirar, digerir a comida e até dormir. Estás a queimar calorias até enquanto lês este livro.
O que é um distúrbio alimentar
Kim vê-se ao espelho do seu quarto. Observa o corpo e franze a testa.“O meu rabo continua gordo”, pensa.Vai pesar-se na balança da casa de banho.“Tenho que perder um pouco mais de peso”, diz para si própria, determinada.Nas semanas seguintes, Kim reduz o pequeno-almoço: durante vários dias, só come uma fatia de pão torrado, com manteiga com baixo teor de gordura; deixou de tomar leite com café.Quando come com a família, entra em pânico só de pensar em ter de enfrentar um prato cheio e depenica a comida. Algumas vezes, quando ninguém está a ver, deita a comida no lixo.Embora coma muito pouco, começou a cozinhar para a família. Esta noite, fez lasanha. Enquanto a preparava, alguns pedaços de queijo caem para a bancada. O estômago da Kim começa a fazer ruídos e apetece-lhe comer o queijo.“Não”, diz. “Estás muito gorda.”À mesa, a Kim serve um prato cheio de lasanha para cada um; para si, serve apenas salada.— Está deliciosa! — diz a mãe. — Tem muitas calorias, mas vale a pena fugir à dieta! Não comes, Kim?— Comi na cozinha. Estou cheia! — mente Kim, enquanto os outros comem.Kim não come uma refeição completa há semanas.
O que é um distúrbio alimentar
A dieta de Kim está a transformar-se noutra coisa: começa a sofrer de um distúrbio alimentar. As pessoas com este tipo de doença, tanto podem comer pouco, como muito. Há muitas razões que estão na base das doenças do comportamento alimentar: surgem em pessoas tristes, desencantadas ou confusas em relação às suas vidas. Utilizam a comida para tornar suportável uma existência que sentem estar descontrolada.Os distúrbios alimentares não são causados pelas dietas: embora possam iniciar-se com uma dieta, não têm nada a ver com comida; costumam estar relacionados com a incapacidade de solucionar alguns problemas próprios...


Qualquer semelhança é mera coincidencia..
Hoje eu almocei café.. e a noite comi uma torrada.. teve uma barra de cereal tbm..
ahhh.... também comi um doce, ganhei um bombom de cereja da minha amiga.. fazia alguns dias que ele olhava pra mim.. Hoje não aguentei e comi.. Que idiota né? Passa o dia inteiro sem comer nada.. e come um bombom.. tsc tsc tsc .. nem falo nada.. não vou falar sobre culpa..
Fiquei deprimida em estar sozinha, mas compensa por outro lado, não tem ninguém pra fiscalizar a comida.. ninguém briga comigo, e ao mesmo tempo não magoo ninguém..
Tirando o bombom.. o dia foi quase No food, mas acho que foi o dia mais limpo da semana..


Não faço nenhuma apologia a anorexia, mas atualmente o meu peso, a minha comida é o único controle que estou conseguindo ter... De certa forma, tem funcionado para me manter mais calma, pelo menos dessa forma meu peso não me encomoda.. falta pouco pra ficar tranquila com a balança.. Meu psicologico em compensação ta pessimo, minha cabeça ta uma zona.. Não to conseguino ficar sozinha.. bate aquele desespero, aquela angustia.. choro.. choro... e não passa... Ao msm tempo, estou extremamente anti-social.. não to com vontade de falar com ninguém, as pessoas tem me irritado constantemente.. O mais estranho é que com a A e a E é diferente não sei porque.. é inversamente proporcional, se chego em casa e elas não estão me sinto tão só, tão mal... me sinto segura com elas, me sinto bem, como não me sinto com ninguém.. coisa esquisita né? ..hj chorei tanto qdo elas nao estavam aqui, qdo eu estava sozinha... uma angustia absurda, misturada com ansiedade.. desesperei sei lá.. Acho que to doente! Lá fui eu ganhar outra marca, to começando a me descontrolar com isso, quero ver como vou esconder amanhã.. espero que faça frio..


Hoje conversando com a A sobre a minha insonia, que eu queria tomar remédio, ela me aconselhou a não fazer pela primeira vez pq com certeza eu não iria parar.. comecei a pensar sobre isso.. foi assim msm com os cortes, o primeiro foi de raiva, misturado com o desespero de nao poder fazer nada.. a partir disso.. cada vez que bate uma agonia lá vou eu para mais um.. é a única forma de passar.. mas não posso depender disso, recorrer a isso cada vez que a barra pesa.. Isso é um absurdo.. descontrole total... chega a beirar a loucura..

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Mais um dia começa.. e não passa.. outra tarde sem sentido, sem ânimo.. a espera nem sei do que.. O tempo passa e a confusão permanece firme e forte... pensamentos estranhos, por vezes misturados com quem eu costumava ser... e agora? o que falta? o que ta acontecendo..? de onde vem tudo isso?

Enquanto tudo o que eu almejava acontece a minha volta, eu não sei mais quais são meus objetivos.. nem sei mais quem sou.. As pessoas começam a perceber algo errado, não há como disfarçar, não há como fugir e muito menos como explicar algo que nem eu entendo.. As cobranças vem disfarçadas de indiretas, que com certeza escondem comentários.. conversas, tenho medo até de imaginar o que passa pela cabeça delas.. e o pior é que sei que está errado, que não é por aí.. Mas se é tão difícil ser sincera comigo mesma, como posso explicar? cada vez que penso em falar com elas.. preciso morder a mão literalmente de tanto nervoso..
Ontem pensei em falar com uma delas, e enquanto eu passava na minha cabeça o que e como eu iria "desabafar" me lembrei de detalhes já "adormecidos".. que me renderam algumas horas de choro e insonia..e mais um corte.. Nessas horas eu desisto de conversar.. é melhor ficar só.. mas o que eu to conseguindo sozinha? além de desespero...
Semana passada em meio há um sufoco imenso.. acabei me machucando com a tesoura.. descobri uma forma de diminuir a angustia, e nem dói tanto.. (isso não é apologia a auto-mutilação).. mas na hora do desespero é incontrolável.. é a única forma de passar..
Uma delas sabe ou pelo menos desconfia dos cortes.. me olha estranho as vezes.. mas é melhor dar risada e desconversar.. pelo menos por enquanto.. ela não iria entender..
Hoje apesar de sem animo, foi um dia mais tranquilo e mais fácil.. sem nenhuma crise de desespero.. tive que almoçar.. não deu pra fugir.. resultado.. acabei passando mal a tarde, minha pressão baixou.. um misto de ansia com vontade de ir ao banheiro.. a tarde foi um pouco dificil ficar sozinha.. conter a ansiedade.. a angustia... mas foi o primeiro dia desde quinta que não me cortei.. eu até comi a noite, fiz um lanche natural.. fiquei um pouco angustiada e culpada, mas hj foi melhor assim.. amanha o dia será longo e passar mal, principalmente fora de casa não está nos meus planos.. Fiquei tão feliz ao ver o sorriso da A qdo soube que eu comi, nossa.. aquele abraço doeu até o coração.. fiquei pensando nos dias em que ela ficou mal por isso.. na minha frente ninguém fala, as vezes até acho que ninguém percebe, mas pela "felicidade" dela hj percebi que ela só não me fala, mas deve prestar atenção em cada detalhe.. Normalmente ela não demonstra muito o que ta pensando ou sentindo, principalmente nesse assunto, por isso me surpreendeu tanto.. me senti culpada.. As vezes eu acho que ninguém está notando, o que me ajuda quando eu não to disposta a ceder.. dá pra disfarçar.. enrolar um ou dois dias com café.. e o bom é que ninguém sofre.. Semana passada foi assim, demorou pra elas começarem a notar.. as brincadeiras me irritaram um pouco, mas acho que elas nem acharam que era sério, ou então encheram o saco de mim e não se importaram... o que foi bom.. ninguém pegou no meu pé..
No fds uma msg da A me pegou de surpresa, falando que não conseguia parar de pensar q eu havia parado de comer, que tava intalada.. levei um susto.. ninguém havia me falado nada.. nem imaginei que ela tivesse notado ou se importado.. Essa semana tentei tomar mais cuidado pra não machucar mais ninguém..
É.. ja está tarde.. preciso dormir, ou pelo menos tentar.. só tenho 2h e meia pra descansar.. as minhas idéias já não estão fluindo mais..

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Meu outro eu




Há uma garota no espelho
eu me impressiono com ela
As vezes eu penso que a conheço,
ás vezes eu realmente gostaria de conhece-la
Há uma história em seus olhos,
corações de ninar e adeus
Quando ela olha de volta pra mim,
eu posso conta-la que meu coração
facilmente se parte
Porque a garota em meu espelho,
está chorando a noite
E não há nada que eu posso dize-la,
para faze-la se sentir bem
Oh, a garota em meu espelho,
está chorando por sua causa
E eu quero fazer alguma coisa,
alguma coisa que eu possa fazer
Se eu pudesse Eu a contaria
Não teria medo
A dor que ela está sentindo
E sentiria a solidão se apagar
Então suas lágrimas secariam
e o resto está garantido
Adoro te ver como antes
Quando ela olho de volta a mim
Eu sei que nada é realmente fácil
Porque a garota em meu espelho
Está chorando a noite
E não há nada que eu posso dize-la
Para faze-la sentir-se feliz
Oh a garota em meu espelho
Está chorando a noite
E eu queria fazer algo
Oh eu queria fazer alguma coisa
Eu queria que houvesse algo
que eu pudesse fazer?
Eu não posso acreditar no que eu vejo,
essa garota no espelho
A garota no espelho
Sou eu


Apesar de não ser muito fã de Britney Spears, me identifiquei com a música...
... chega a ser fundo musical do post anterior!

Desabafo...


Ninguém a conhece, ninguém escuta seus sussurros, seu pranto pela madrugada.. os segredos que só o seu quarto, seu banheiro conhecem. A ansiedade que toma conta de seu ser.. o medo de que a conheçam, de que a rejeitem, misturados com a vontade de se libertar.. contar seus medos, seus traumas.. Será que há alguém que a proteja? Alguem em que ela possa confiar de verdade..? Alguém que não a abandone, que esteja ao seu lado para sempre?
Ela continua sendo aquela garotinha assustada, ingênua, medrosa, que não sabe dizer não... aquela que realmente guardou segredo.. Terá sido esse o problema? Se naquele dia sua atitude tivesse sido diferente, será que hj ela seria alguém diferente? Seus medos seriam menores? Suas frustrações? Ela se aceitaria hoje, se no ontem alguém tivesse lutado por ela? Ou a vergonha seria maior?
Perguntas sem respostas hoje pairam em sua mente.. lembranças dolorosas, mais profundas do que os cortes em sua pele, insistem em voltar... mas não há com quem dividir, a decisão foi tomada anos atrás, décadas... não há porque desenterrar, mesmo que as marcas sejam profundas, mesmo que as cicatrizes permaneçam para sempre.. agora é tarde demais.. mesmo que ela só queira chorar, não há colo, abraço ou aconchego.. só a frieza do espelho.. pois mesmo os que estão perto estão longe demais do seu verdadeiro eu, de sua verdadeira história, de sua verdadeira solidão.. como quebrar a barreira do silêncio de algo delicado e ao mesmo tempo tão pesado?
Ela continua vivendo em seu banheiro, mascarada pela fome.. pelas marcas em seu corpo.. e tudo o que ela precisa é um de abraço protetor.. aquele que ninguém nunca deu, aquele que ela nunca foi capaz de pedir.. aquele em que era preciso quebrar o silêncio..